Professor do SINTMOL é finalista regional do Prêmio Santander Universidades 2013

Postado por: Adilson Beatriz

Nova Imagem (9)
O professor Dr. Dênis Pires de Lima, do Lab. Sintmol – INQUI-UFMS foi um dos três finalistas da etapa regional do Prêmio Santander de Ciência e Inovação 2013, na Categoria Biotecnologia, que engloba todos os processos que se utilizam de agentes biológicos para a obtenção de produtos. O prêmio visa estimular a produção da pesquisa científica, de caráter inovador, reconhecer e incentivar pesquisadores que, além de educar, contribuem com a inovação para o ensino. O pesquisador concorreu com professores das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste e ficou entre os 3 melhores desta etapa (outros dois foram da UFG e  UFS), com o projeto “Biocatálise para a Preparação de Cianoacrilatos com Potencial Aplicação como Adesivos Cirúrgicos”. A próxima etapa do prêmio será escolher entre os 3 projetos (UFMS, UFG e UFS) qual será o finalista nacional que irá concorrer com representantes das regiões Sudeste e Sul, em São Paulo, SP no 19/11/2013.

A seguir, o Professor Dênis apresenta um resumo e histórico do projeto, a importância da participação no Prêmio para a pesquisa científica e tecnológica desenvolvida no Lab. Sintmol  (LP4) e suas perspectivas.

 

Título: Biocatálise para a Preparação de Cianoacrilatos com Potencial Aplicação como Adesivos Cirúrgicos

Resumo do Projeto: No Brasil, adesivos cirúrgicos de alto custo vêm sendo utilizados para fechamento de incisões em procedimentos médicos. Considerando que os adesivos de cianoacrilatos podem ser preparados por metodologias relativamente de baixo custo e com bons rendimentos, é de grande interesse a pesquisa focando a obtenção de novos produtos que apresentem propriedades adesivas, mas, sendo genuinamente nacionais. Através de metodologias empregando biocatalisadores, adaptadas em nosso laboratório, serão preparados monômeros de cianoacrilatos já conhecidos no mercado. Além disto, novos compostos serão sintetizados com o objetivo de se conhecer seu potencial como adesivos. Para obter os produtos serão empregados, na maioria das vezes, processos biocatalíticos utilizando lipases, papaína e proteínas para realizar reações de esterificação, condensação de Knoevenagel, reação de Morita-Baylis-Hillman (MBH) e oxidação de Bayer-Villiger. De posse dos compostos-alvo, serão preparadas formulações com agentes para produzir cor e odor agradável ao produto final. Os resultados obtidos serão inovadores em termos de processos e produtos podendo perfeitamente atrair o setor produtivo de forma a escalonar os procedimentos efetuando parcerias Universidade/Empresa para transferência de tecnologia. O impacto econômico e social é, portanto, inerente ao projeto uma vez que a produção destes compostos no Brasil implicará em menos importações, criação de empregos e permitirá a inclusão da população de baixa renda a tratamentos mais adequados de problemas cirúrgicos variados.

Histórico do projeto

O projeto se originou através de um contrato de prestação de serviços iniciado em Novembro de 2009 quando a Clínica de Cirurgia Plástica João Ilgenfritz Ltda. (CCPJI, Campo Grande-MS), na pessoa do Dr. João Ilgenfritz, mostrou interesse em produzir adesivos cirúrgicos de uso comercial. Conforme nos foi relatado pelo presidente e responsável pela Clínica, estes adesivos não são produzidos no Brasil sendo, portanto, importados com alto custo. A empresa firmou, portanto, um convênio com a UFMS onde o Laboratório de Síntese e Transformações de Moléculas Orgânicas- LP4/Instituto de Química, seria o responsável pela pesquisa e desenvolvimento nesta área. Os professores Dênis Pires de Lima e Adilson Beatriz coordenaram os primeiros estudos que foi tema de dissertação de mestrado já defendido, da acadêmica Rosângela da Silva Lopes. Atualmente, os novos estudos propostos neste projeto também é tema de Tese de Doutorado da referida acadêmica.

O trabalho objetivou primeiramente a obtenção de cianoacrilatos inéditos para conhecer suas propriedades de forma a utilizá-los como colas cirúrgicas. Em meados de 2012 o projeto alcançou outros patamares tendo em vista que houve sucesso na preparação dos dois componentes principais dos adesivos cirúrgicas Dermabond® e Histoacryl®, obtidos por processos originais no nosso laboratório. Durante o desenvolvimento do projeto também fomos incumbidos de propor uma formulação para os produtos, que apresentasse cor e odor para facilitar as práticas cirúrgicas. Obtivemos, portanto, uma formulação de adesivos cirúrgicos que apresentou cor violeta e odor agradável, ou seja, um produto final de excelente qualidade, facilidade de aplicação e apresentando odor de canela. Devido a esses resultados, a CCPJI criou a empresa Médica Produtos de Uso Médico Ltda nos moldes de “spin off” destinada, futuramente, ao escalonamento da preparação dos produtos finais para comercialização.

Importância da Participação no Prêmio para a Pesquisa Científica e Tecnológica Desenvolvida no LP4

A participação no prêmio Santander de Ciência e Inovação na categoria Biotecnologia de 2013 está sendo fundamental para o reconhecimento do SINTMOL uma vez que propicia maior visibilidade dos trabalhos desenvolvidos por nosso grupo de pesquisa. Na verdade, estar neste momento entre os nove semifinalistas na categoria Biotecnologia, traz importantes benefícios para nossos estudantes, para o Instituto de Química e para a UFMS de maneira geral. Ter nosso projeto reconhecido nos abre portas para a divulgação de nossa competência em gerar ciência e tecnologia dentro de uma instituição pública. Tudo isto pode culminar na publicação de artigos científicos de grande impacto bem como patentes que repercutirão nacional e internacionalmente.

Perspectivas

Estabelecer cooperações institucionais nacionais e internacionais, com a iniciativa privada e órgãos do governo que reflitam sobremaneira na formação de recursos humanos para participarem de iniciativas inovadoras e de grande demanda econômico-social.

Transferência de tecnologia para empresas interessadas na preparação dos compostos advindos deste estudo resultando na inserção de um produto genuinamente nacional no mercado e produzido com baixo impacto ambiental. Os adesivos obtidos por processos de baixo custo e que forem formulados com cor e odor agradável, se comercializados, representarão um impacto social também importante uma vez que poderão ser acessados com maior facilidade pela sociedade representando numa melhoria na qualidade de vida para a população.

 Dênis Pires de Lima (Instituto de Química – UFMS) – Outubro/2013

 

Prêmio Santander: Os Prêmios Santander Universidades reforçam o nosso compromisso com o ensino superior ao reconhecer, incentivar e premiar projetos relevantes de alunos, professores, pesquisadores e Instituições de Ensino Superior. Porque investir em educação é a forma mais direta e eficaz de apostar no progresso de uma sociedade.

Lançado em 2005, essa iniciativa alcançou uma dimensão ímpar, ao aumentar seu escopo e relevância ano após ano e impactar em toda a cadeia de valor do ensino superior. Em nove edições foram cerca de 29 mil inscrições, 98 projetos reconhecidos e R$ 5 milhões em prêmios.

Agora, em 2013, os melhores projetos receberão R$ 2 milhões em prêmios – o dobro em relação à edição passada – e bolsas de estudos internacionais. Além disso, todos os participantes inscritos poderão realizar gratuitamente o curso on-line de empreendedorismo, desenvolvido e certificado pela Babson College, universidade norte-americana reconhecida mundialmente nessa área.

Ao todo, são quatro grandes premiações que visam à realização de grandes projetos:

Prêmio Santander Empreendedorismo,

Prêmio Santander Ciência e Inovação

Prêmio Santander Universidade Solidária

Prêmio Guia do Estudante – Destaques do Ano.

Maiores informações no site:

http://www.santander.com.br/portal/wps/gcm/package/wps/universidades_17102013_84514.zip/correntistas_conta_premios.htm

Compartilhe:
Veja também